Publicado por: horacionoronha | 28/08/2014

Dia de Santo Agostinho

 livro-confissoes-santo-agostinho-19211a7bec

Neste dia de Santo Agostinho, aqui fica um belo pensamento que ele nos deixou, no seu livro “Confissões”:

“Tarde vos amei, ó beleza tão antiga e tão nova, tarde vos amei! Estáveis dentro de mim, mas eu estava fora e fora de mim vos procurava. Com o meu espírito deformado, precipitava-me sobre as coisas formosas que criastes. Estáveis comigo e eu não estava convosco. Retinha-me longe de Vós aquilo que não existiria sem Vós. Chamastes, clamastes e rompestes a minha surdez. Brilhastes, resplandecestes e afugentastes a minha cegueira. Exalastes sobre mim o vosso perfume: aspirei-o profundamente e agora suspiro por Vós. Saboreei-Vos e tenho fome e sede de Vós. Tocastes-me e agora desejo ardentemente a vossa paz!.”

04370480

O Papa Francisco denunciou hoje no Vaticano os “pecados” que afetam a unidade da Igreja, em cada comunidade católica, e afirmou que a bisbilhotice e maledicência são “sinal” do diabo.

“A divisão é um dos pecados mais graves numa comunidade cristã, porque a torna sinal, não da obra de Deus, mas da obra do diabo”, alertou, na audiência pública semanal que decorreu na Praça de São Pedro, perante dezenas de milhares de pessoas.

Segundo o Papa, o diabo é “aquele que separa, destrói as relações, semeia preconceitos”.

“Deus, pelo contrário, quer que cresçamos na capacidade de nos acolhermos, perdoarmos e amarmos, para nos parecermos cada vez mais com Ele que é comunhão e amor”, acrescentou.

Francisco observou que os pecados contra a unidade não são só “as grandes heresias, os cismas” mas também as “falhas” presentes nas comunidades, que definiu como “pecados paroquiais”.

“Por vezes, as nossas paróquias, chamadas a ser lugar de partilha e de comunhão, são tristemente marcadas por invejas, ciúmes, antipatias”, lamentou.

Deixando de lado o discurso preparado, o Papa perguntou aos presentes se era “bom” haver “bisbilhotice” nas paróquias, por exemplo, quando alguém assume cargos de responsabilidade.

“Isto não é a Igreja, isto não se deve fazer. Não digo que corteis a língua, tanto não, mas pedir ao Senhor a graça de não o fazer. Isto é humano, mas não é cristão”, precisou.

Publicado por: horacionoronha | 12/08/2014

Papa Francisco convida a evitar críticas destrutivas

Numa entrevista a uma rádio argentina, o Papa convida a evitar críticas destrutivas

“Trabalhar pela unidade sempre vai ser importante. Sempre vai existir diferenças, brigas, a questão é não deixá-las crescer. Fazer que as coisas se resolvam entre irmãos. É preciso conversar sim, mas com Deus. Não precisa tirar o couro do outro. O que mais destrói a Igreja, os povos e a Nação é a crítica destrutiva. Ou seja, ficar tirando o couro um do outro. Isso não é cristão”.

Publicado por: horacionoronha | 30/07/2014

A Bíblia incomoda…

“O que mais me incomoda na Bíblia não são os trechos que não compreendo. São justamente os que compreendo”.

(Mark Twain)

Publicado por: horacionoronha | 28/07/2014

Católicos e muçulmanos – compromisso pela paz

O Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso (Santa Sé) enviou uma mensagem aos muçulmanos de todo o mundo, apelando a um compromisso comum pela paz e os pobres.

“Inspirados pelos nossos valores comuns e fortalecidos pelos sentimentos de fraternidade genuína, somos chamados a trabalhar juntos pela justiça, a paz e o respeito pelos direitos e dignidade de cada pessoa”, refere o texto. E acrescenta: “Cristãos e muçulmanos são irmãos e irmãs numa única família humana, criada pelo Deus Uno”.

Sendo mais importante aquilo que nos une do que aquilo que nos separa, porque não damos as mãos e caminhamos juntos na construção da paz, da fraternidade, de um mundo mais justo?

Grande desafio para todos!

Publicado por: horacionoronha | 17/07/2014

“Igreja de Setúbal, com Maria, alegra-te e evangeliza”

O bispo de Setúbal dedica o novo ano pastoral à celebração do aniversário da criação da diocese, sob a proteção de Maria, com o lema “Igreja de Setúbal, com Maria, alegra-te e evangeliza”.

“No dia 16 de julho de 2015 ocorre o quadragésimo ano da criação da nossa diocese e a 26 de outubro o aniversário da ordenação e da tomada de posse do seu primeiro bispo, o senhor D. Manuel Martins”, relembrou D. Gilberto Canavarro dos Reis na mensagem que enviou aos diocesanos.

“Tendo em conta estes aniversários e tendo ouvido os vários Conselhos, pareceu-me oportuno dedicar o próximo ano pastoral à sua celebração”, informou o bispo de Setúbal.

O novo ano pastoral vai começar no dia 25 de outubro com uma peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima e a sua conclusão é celebrada com a passagem da Imagem da Virgem peregrina, entre 25 de outubro e 8 de novembro de 2015, uma visita inserida no contexto da preparação do centenário das Aparições de Nossa Senhora de Fátima, em 1917.

“Com Maria vamos saborear e viver a alegria da experiência da presença de Deus na nossa vida nos primeiros 40 anos desta querida diocese, nomeadamente em tantas pessoas, instituições e realizações que o Espírito vem suscitando”, desenvolveu o prelado.

sem_titulo

Francisco promete «tolerância zero»

O Papa condenou no Vaticano os “atos execráveis” de abusos sexuais perpetrados contra menores e pediu perdão às vítimas, afirmando que não há lugar na Igreja para membros do clero que pratiquem estes “crimes”.

“Não há lugar no ministério da Igreja para os que cometerem estes abusos e comprometo-me a não tolerar a ninguém os danos infligidos a um menor, independentemente do seu estado clerical”, adiantou Francisco, pedindo a colaboração de “todos os bispos” na proteção dos menores.

A intervenção qualificou a presença de vítimas para um encontro no Vaticano como sinal do “milagre da esperança” e da “coragem” com que estas pessoas souberam “expor a verdade”, iluminando uma “terrível escuridão na vida da Igreja”.

O grupo era formado por seis pessoas, três homens e três mulheres, oriundas da Alemanha, Irlanda e Grã-Bretanha.

Publicado por: horacionoronha | 11/06/2014

O campeonato do mundo visto pelos Bispos do Brasil

copa do mundo 2014 4

O Mundial 2014 é visto pelos bispos do Brasil como “ocasião para refletir com a sociedade sobre as relações pacíficas e culturais entre todos os povos, bem como sobre os aspetos sociais e económicos que envolvem o desporto, que é harmonia, desde que o dinheiro e o sucesso não prevaleçam como objeto final, conforme alerta o Papa Francisco”.

“Lamentamos que, na preparação para a Copa, esse último aspeto tenha prevalecido sobre os demais, motivando manifestações populares que acertadamente reivindicam a soberania do país, o respeito aos direitos dos mais vulneráveis e efetivas políticas públicas que eliminem a miséria, estanquem a violência e garantam vida com dignidade para todos”, acrescenta a CNBB.

Publicado por: horacionoronha | 11/06/2014

Temor de Deus

O Papa Francisco encerrou um ciclo de catequeses sobre os dons do Espírito Santo, explicando o que se entende por “temor de Deus”, um dos dons do Espírito Santo.

Afirmou que o temor de Deus “não significa ter medo de Deus”, mas reconhecer-se como “revestidos da misericórdia e do amor de Deus”, um “papá”.

Publicado por: horacionoronha | 07/06/2014

Decálogo do papa S. João XXIII

papa-joao-xxiii

Quantas vezes somos confrontados com preocupações e dúvidas sobre o nosso futuro. Serei capaz de ser fiel até ao fim: no meu casamento, no meu sacerdócio, nos meus projetos, na minha fé?

Há uma resposta muito antiga, pois vem nos evangelhos:

“Não vos preocupeis com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã já terá as suas preocupações. Basta a cada dia o seu problema.” (Mt 6, 34).

Não se trata duma alienação dos problemas do mundo, nem duma demissão perante a vida. Trata-se de viver a esperança, tentando superar a angústia e o medo perante o futuro.

Neste sentido, o novo santo da Igreja, S. João XXIII, deixou-nos este belíssimo decálogo, cheio de sabedoria e bom senso:

Decálogo de S. João XXIII

 1- Só por hoje, tratarei de viver exclusivamente o dia de hoje, sem querer resolver os problemas da minha vida de uma só vez.
2- Só por hoje, terei o máximo cuidado com os meus atos; serei cortês nas minhas maneiras, não criticarei ninguém e nem pretenderei melhorar ou disciplinar ninguém, senão a mim mesmo.
3- Só por hoje, serei feliz na certeza de que fui criado para a felicidade não só no outro mundo mas neste também.
4- Só por hoje, adaptar-me-ei às circunstâncias, sem pretender que elas se adaptem a todos os meus desejos.
5- Só por hoje, dedicarei dez minutos do meu tempo a uma boa leitura, recordando que, assim como o alimento é necessário para a vida do corpo, a boa leitura é necessária para a vida da alma.
6- Só por hoje, farei uma boa ação e não o direi a ninguém.
7- Só por hoje, farei pelo menos uma coisa que não desejo fazer e se me sentir ofendido nos meus sentimentos, procurarei que ninguém o saiba.
8- Só por hoje, farei para mim um programa detalhado; talvez não o cumpra integralmente, mas ao menos escrevê-lo-ei. E guardar-me-ei de duas calamidades: a pressa e a indecisão.
9- Só por hoje, acreditarei firmemente que, embora as circunstâncias demonstrem o contrário, a providência de Deus se ocupa de mim como se não existisse mais ninguém no mundo.
10- Só por hoje, não terei temores. De modo particular, não terei medo de gozar o que é belo e de crer na bondade.

Older Posts »

Categorias

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.